E-Commerce deve gerar receita de US$ 69,7 bi em 2011 | E-Consulting Corp.
Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Decision REPORT – Julho, 2010

O Índice do Varejo Online, soma dos volumes de transações online de automóveis, turismo e bens de consumo, conduzido trimestralmente pela E-Consulting Corp., aponta que o e-Commerce na América Latina e Caribe deve alcançar cerca de U$ 69,7 bilhões em 2011, o que representa um CAGR de 19,4% no período entre 2003 e 2011.

A análise mostra também que o Brasil é o maior mercado de comércio eletrônico, representando 45% do total, seguido de México, Venezuela, Argentina, Chile e Colômbia, que juntos representam 35%, e os demais países com 10% de representatividade.

No Brasil, neste primeiro semestre de 2010, os produtos mais vendidos na categoria Bens de Consumo foram Mídias como CDs, DVDs e Games que totalizou R$ 1,91 Bi, seguido por Saúde e Beleza, com R$ 1,88 Bi.

E em terceiro lugar os Livros e Periódicos, com faturamento total de R$ 1,65 Bi. Segundo as análises, o CAGR desta mesma categoria será de 31,5% no período entre 2002 e 2012.

Outro destaque da sub-categoria Saúde & Beleza, com 58,6%, que segundo Daniel Domeneghetti, sócio-fundador da E-Consulting e responsável pelo Strategy Research Center, do Grupo ECC, “é fruto da combinação de redução das barreiras psicológicas da compra e também da maior participação dos consumidores de classes C e D”.

Já a sub-categoria Telefonia Celular, com 66,5% de CAGR, é o maior destaque. O levantamento mostra que as variáveis deste alto percentual são as ofertas de serviços de valor agregado via Internet, popularização das lojas de aplicativos online e aumento do número de devices com acesso a Internet.

Drivers de Crescimento

No comércio eletrônico local, o crescimento do setor está dividido na oferta, investimento de grandes varejistas nas operações online e aumento da participação das pequenas empresas no e-commerce.

E na demanda, que representa um crescimento econômico e aumento da renda média do brasileiro das Classes C e D, maior acesso a banda larga (incluindo móvel), alcançando 11,2 milhões em 2010, conveniência e comodidade associada à economia de tempo e a popularização de computadores e notebooks.

De acordo com o estudo, as principais tendências estão nos recursos para Programas de Fidelização, Programas de Afiliados e Novas Técnicas de Propaganda como o re-targeting e cross-targeting.

A utilização das Redes Sociais como canal de Relacionamento e Conversação com consumidores. Além dos canais móveis que, cada vez mais, utilizados como meios para comparação ou aquisição online.

Clique aqui para ler a matéria no site.

Os comentários estão fechados.

Scroll to Top