Comércio Eletrônico Brasileiro deve Movimentar R$ 53 bi | E-Consulting Corp.
Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Portal Último Instante – Março, 2014

Um dos fatores que impulsionou os números foi a consolidação das operações online de grandes varejistas.

Um dos fatores que impulsionou os números foi a consolidação das operações online de grandes varejistas.
Um dos fatores que impulsionou os números foi a consolidação das operações online de grandes varejistas.

O Índice do Varejo Online (VOL), soma trimestral dos volumes de transações online de automóveis, bens de consumo e turismo através de lojas virtuais, o comércio eletrônico brasileiros deve movimentar cerca de R$ 53,1 bilhões em 2014, alta de 22% em relação a 2013.

A pesquisa é da E-Consulting, empresa de estratégia e projetos, desenvolvimento e implementação de serviços profissionais em web, TI, Telecom, Contact Center, multicanais e novas mídias. Foram pesquisadas 44 das 100 maiores empresas do país.

Um dos fatores que impulsionou os números foi a consolidação das operações online de grandes varejistas.

Entre as três categorias que compõem o índice, os bens de consumo são a classe mais promissora, representando 49,7% do varejo online. A previsão para o ano é de alta de 34,64%, passando de R$ 19,6 bilhões para R$ 26,4 bilhões. O estudo prevê a aquisição de produtos mais caros e disseminação das práticas de financiamento ao consumo online feita por grande parte das operações de e-commerce.

Na categoria de turismo online, que representa 25,6% da fatia do VOL, deve ter crescimento de 19,3%, passando de R$ 11,4 bilhões para R$ 13,6 bilhões, com aumento do poder aquisitivo das classes C e D, programas de estímulo ao turismo interno e volume de viagens de negócios.

No segmento de automóveis, que tem participação de 24,7%, estima-se expansão de 6,5%, passando de R$ 12,3 bilhões para R$ 13,1 bilhões.

Por estados, São Paulo é o que tem maior participação de internautas, com 32%. Depois vem o Rio de Janeiro (14%), Minas Gerais (9%), Paraná (7,5%), Rio Grande do Sul (7,2%) e Santa Catarina (5,1%).

Os comentários estão fechados.

Scroll to Top