Grupo ECC E-Consulting Corp. DOM Strategy Partners Instituto Titãs Inventures

Netflix, UOL e Globo são as mídias mais digitais, segundo o E-Consulting

O estudo Régua da transformação digital – mídia e telecom, realizado pela E-Consulting, fez uma radiografia das empresas com maior aderência digital no país. A mais bem pontuada é a Netflix, seguida do Grupo Globo e do portal UOL. O ranking contempla 12 marcas: Vivo, Net/Claro, Sky, Telefônica, TIM, RedeTV!, Record TV, Nextel e Rede Bandeirantes. A metodologia usada pela boutique de projetos utilizou enquetes online, análises de redes sociais, investimentos em tecnologia da informação, transformação digital, posicionamento dos consumidores, inteligência competitiva, posições em rankings setoriais, cliente oculto, entrevistas com executivos de varejo e, por exemplo, premiações. O trabalho de campo qualitativo foi realizado entre os meses de maio e agosto. O critério para a atribuição de notas foi de zero a 5.

A transformação digital é sintomática em qualquer segmento de negócios. No setor de mídia é inevitável, principalmente pela necessidade de adequação às plataformas de streaming e VOD (Video On Demand) que as TVs fechadas e abertas já estão antenadas. É uma demanda que chega agora ao imprescindível contato/alcance que precisam ter com seus telespectadores, mas o digital já vem exercendo influência nos canais de mídia há algum tempo, sobretudo nas áreas de produção, captação, edição e transmissão.

“A mobilidade associada a tecnologias que produzem experiências de compras cada vez mais personalizadas conduz para modelos de negócio essencialmente digitais em que as vitrines são virtuais, as compras experienciais e os produtos são entregues conforme a preferência do consumidor. Daqui a dois anos, o digital será o básico em todos os mercados de mídia”, explica o executivo Daniel Domeneghetti, CEO da E-Consulting.

A pesquisa não tem por objetivo, nas palavras de Domeneghetti, mostrar que os veículos de comunicação e empresas de telecom estão criando plataformas, como streaming, por exemplo. Mas quem está de fato compromissado em compreender a nova jornada do consumidor e, consequentemente, ter conteúdos factíveis para proporcionar experiências relevantes.

Qual o propósito e o efeito prático da pesquisa para o segmento de mídia como forma de alertar o segmento? Domeneghetti responde: “Mostrar os caminhos digitais de diferenciação e vantagem competitiva para o segmento de mídia, telecom, internet/digital e afins, já que o futuro do setor será, cada vez mais, digital e os concorrentes, tradicionais ou em novos formatos, procurarão liderar esse processo de migração. É interessante complementar que digital entende-se o conceito convergente que abrange web, mobilidade, multimídia, colaboração/redes sociais em todo e qualquer device, ambiente, mídia, veículo ou canal que possa estar online”, ele finaliza.

Os comentários estão fechados.

Scroll to Top